1785 usuários online no momento.
Participe em nossa comunidade é divertido e é totalmente gratuito!

Adoo no Rio de Janeiro

Faltam bebês e sobram crianças e adolescentes para serem adotados no Rio de Janeiro.
A unanimidade é por meninas loiras, de cabelos lisos com até 2 anos de idade.
As pessoas acham que meninos dão mais trabalho.

Essa preferência de brasileiros causa uma espera estimada em 7 meses no Juizado da Infância e da Juventude. Os estrangeiros não se importam em adotar crianças mestiças ou negras e com deficiência física, segundo a Diretora da Divisão de Serviço Social, Clayse Amin.

A preferência de casais e solteiros, candidatos à função de pais substitutos por bebês de até dois anos provoca uma longa espera, mas o país está lotado de crianças abandonadas.
Na listagem publicada pela Primeira Vara da Infância e Juventude, no Diário Oficial do Poder Judiciário no mês de julho de 1999 havia 83 casais cadastrados na fila de espera.

De acordo com o juiz Siro Darlan, mais de 6 mil crianças e adolescentes em abrigos tem impedimento legal para serem adotadas. Apesar de viverem em orfanatos, eles têm família que, por motivos variados, como miséria, violência doméstica e vícios, não podem ficar com os filhos, mas conservam o pátrio poder.

O pediatra americano Dana Johnson afirma que crianças internas por longos períodos em instituições não desenvolvem plenamente o cérebro, e têm as habilidades físicas e motoras diminuídas, além de apresentarem dificuldades afetivas e emocionais.

O Estatuto da Criança e do Adolescente, que estabelece que a medida de internação em abrigo deve ser provisória, em no máximo seis meses, não está sendo cumprida. "Estamos criando crianças segregadas e aprisionadas", afirma o juiz Siro Darlan, acrescentando que o Ministério Público deve aplicar o estatuto. "Se a família não tem condições de arcar com a educação do menor, porque é pobre, tem que cobrar uma política pública de apoio. Se o problema é o vício, a família tem que ser cobrada, senão quem sofre as conseqüências é a criança", diz o juiz.


 Publicação: 

Avaliar esse artigo:

timo!

Agradecemos sua opinião.
Sua participação é de grande ajuda.

Fale com seus amigos sobre este artigo.

×

Este artigo foi avaliado 195 vezes
A avaliao est em 4.05



  Imprimir este artigo

Artigo cedido por Loja do Bebê
Loja virtual para gestantes e mães.



  

©1999-2017 E-familynet - O portal da família


Em Breve.

Google+ e Twitter Login

Estamos trabalhando em outras variedades de login para permitir que voc acesse o e-familynet atravs de sua rede social favorita. Por enquanto, recomendamos que voc use o login do Facebook.

Por favor, tente novamente em breve.

×